NOSSO BLOG

Quando devo trocar a correia dentada do meu automóvel?

Imagine planejar uma viagem perfeita com toda a família, e ao pegar a estrada seu carro repentinamente parar de funcionar? Só de imaginar a sensação, você provavelmente sentiu um certo desconforto, não é mesmo?


Essa é uma situação bastante comum e para que isso não aconteça é imprescindível que você faça uma checagem no seu automóvel, verificando o óleo, a água e principalmente a correia dentada.
Essa peça funciona discretamente, sem fazer ruído algum. Dessa forma, o proprietário do automóvel nem se dá conta de que ela também precisa de revisão.

Assim como os pneus, a correia também sofre um desgaste natural. E quando essa peça se rompe, ela tende a travar o motor, promovendo possíveis quebras das válvulas, o que gera grandes prejuízos.

Segundo dados obtidos de manuais e montadoras, essa peça possui vida útil de 50 mil km, ou seja, ela costuma durar em torno de 3 anos em média. Entretanto, os proprietários não devem considerar esse tempo previsto como o correto.

Pois, ao ligar o carro todas as peças passam a funcionar e, mesmo não gerando quilometragem elas se desgastam. Sendo assim, é preciso fica atento e se necessário, realizar a troca antes do prazo estabelecido.

Funcionamento da correia dentada

A peça é a responsável por ligar o eixo-comando de válvulas ao virabrequim do motor, sincronizando as peças e fazendo com que as válvulas de escapamento e de admissão se abram e se fechem no momento exato.

 

Pode-se dizer que a correia dentada rege a sinfonia do motor de um carro. No momento em que essa peça se rompe, o funcionamento do motor fica comprometido, visto que as válvulas, câmaras e pistões batem de forma desordenada.

Fique atento, pois outros problemas também podem ocorrer no seu veículo como, por exemplo:

  • Desalinhamento de polias;
  • Polias gastas;
  • Correias frouxas;
  • Óleo ou graxa na correia;
  • Excesso de tensão;
  • Flange da polia danificada;
  • Desgaste excessivo ou estrias causadas pelo roçar em cortes ou obstruções.

Ao trocar a correia do seu automóvel é imprescindível que você substitua outros componentes do sistema como, por exemplo, o esticador e os rolamentos das polias. Lembre-se também de verificar a bomba de água, pois esta é acionada pela correia.

Realize a manutenção preventiva

É válido ressaltar que nem todos os carros fazem uso da correia dentada. Embora seja mais custosa e ruidosa, alguns fabricantes preferem a corrente metálica, semelhante à de bicicleta, uma vez que sua durabilidade é superior a das correias dentadas. Além disso, a corrente metálica não exige manutenção periódica.

Mesmo que você não perceba nenhuma alteração no seu veículo, saiba que é importante realizar manutenções preventivas. Somente dessa forma é que você consegue prolongar a vida útil do seu automóvel.

Comente abaixo e nos conte se você já precisou trocar a correia dentada do seu carro, divida com nossos leitores as suas experiências. Não deixe de continuar acompanhando as nossas atualizações, pois assim você fica por dentro de todas as novidades do nosso setor.